terça-feira, 20 de outubro de 2015

Aleatório: 5 Bandas japonesas para agitar o esqueleto!

Estou longe de ser um manjador de músicas em âmbito geral, porém, isso não significa que não posso desfrutar dos princípios básicos que regem a internet: Falar sobre qualquer coisa sem dispor do conhecimento devido. Foi pensando dessa maneira que concluí que era uma boa redigir um texto sobre o assunto em questão.

Nos últimos tempos tenho ouvido uma boa quantidade de músicas japonesas, mas todas das mesmas bandas. Analisando a minha situação atual, é possível afirmar que estou a mais ou menos 15 anos atrasados com o encantamento proporcionado pelo J-Rock. Entretanto, como já disse um velho deitado: Antes tarde do que nunca!

Fiz uma lista com 5 bandas japonesas para você ouvir e curtir. Teço alguns comentários sobre cada uma ao longo do artigo, mas já adianto que o Flow não passou por aqui. Enfim, confira a seguir a minha lista de 5 bandas japonesas:

Scandal
Scandal
Tenho uma relação de amor e displicência com o Scandal; banda formada apenas por mulheres. O Scandal é conhecido no meio otaku por ter suas músicas em duas animações de grande destaque internacional, Fullmetal Alchemisty e Bleach. As integrantes da banda são ótimas profissionais, algo que tende a ser comum pela dedicação cultural japonesa em suas diversas atividades.



O único problema é que a maioria do seu repertório de músicas, que é bem extenso, aparenta ser um conjunto de canções aleatórias; apenas enchimento para preencher o álbum. Nesse sentido os álbuns chegam a ser insossos, perfeitos para ouvir quando fazemos outro tipo de atividade que não seja prestar atenção na música. Entretanto, o Scandal ainda tem ótimas músicas, como a Koi no Kajitsu, Space Ranger, Kagen no Tsuki, Shunkan Sentimental, Haruzake, Satisfaction e Kimi ni Shitto Chuu. O álbum Encore é o mais divertido, pois possuí mais personalidade.

Bradio
Bradio
Se você assistiu Death Parede a banda já é sua conhecida. Bradio apareceu no início desse ano para o mundo através da abertura da animação mencionada. A banda tem um estilo próprio, que lembra bastante o gingado e swing da geração disco dos anos oitenta. O Bradio combina isso com um toque de J-Rock estilizado. O álbum de estreia, Power Of Life, é recheado apenas com músicas memoráveis, dançantes e um pouco suaves com uma e outra baladinha.



Power Of Life não conta com todas as músicas da banda, então recomendo uma passada no youtube para ouvir os singles antigos, assistir shows ao vivo em galpões e, principalmente, ver os vídeos clipes peculiares do grupo.

Funkist
Funkist
O Funkist ficou mundialmente famoso pelo seu estilo que mistura J-Rock com regue e música celta. O grande destaque são suas duas canções que enchem de energia as aberturas de Fairy Tail. O álbum Funkist Cup, lançando durante a Copa do Mundo de 2010, reúne um catálogo de músicas excepcionais que só a banda sabe compor. O álbum também homenageia a África com algumas de suas músicas; as aberturas de Fairy Tail também estão inclusas no setlist.



A banda sofreu uma baixa trágica em 2011 quando sua flautista, Yōko Kasugai, faleceu por problemas de saúde. A artista havia sido afastada da banda em julho de 2009 exatamente pelos mesmos motivos que levaram a sua morte. Ainda doente ela chegou a fazer participações em músicas e em vídeos pela banda, mas sua performance ao vivo não pode ser mais ouvida. Por respeito a privacidade de familiares e amigos a doença que findou com sua vida não foi revelada. A flauta não foi continuada na banda após o seu falecimento.

Beat Crusaders
Beat Crusaders
Uma banda foda! Essa é a melhora definição para o Beat Crusaders. A banda fez sucesso no início dos anos 2000 quando sua música Hit in The USA estourou na abertura da animação musical de Beck. O Beat Crusaders tem um repertório incrível de músicas que exemplificam exatamente o porquê do sucesso mundial do J-Rock no início desse século.



O álbum Very Best Crusaders, que reúne as melhores músicas da banda ao longo da sua carreira, é sensacional; o setlist é mais do que recomendado. Lamentavelmente a banda encerrou suas atividades em 2010, mas nos deixou um longo conjunto de canções durante os seus 13 anos de existência.

The Starbems
The Starbems
O Starbems é uma banda que nasceu com o fim do Beat Crusaders. Após o encerramento da sua antiga banda, o vocalista/guitarrista, Tōru Hidaka, resolveu adicionar uma nova banda no seu currículo. E não se iluda pensando que esse é o seu segundo grupo, o Starbems é a quinta banda idealizada pelo excelente músico de 47 primaveras. O Tōru Hidaka já fez parte do Gallow, Pasela-Quisela-In e Monobright. Outra informação interessante é que o Hidaka também tem um álbum solo chamado Replica, lançado em maio de 2012.



Em seu mais novo projeto musical, criado exatamente no mesmo ano em que ele lançou o álbum solo, o Tōru Hidaka apresenta uma banda com um estilo mais pesado que os anteriores. O Starbems tem uma pegada mais hardcore e punk-rock, com guitarras e baterias mais pesadas que o tradicional J-Rock. É possível ouvir algumas das suas músicas no canal da banda no youtube.

Nenhum comentário:

Postar um comentário