quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Minha breve experiência com a Social Comics (e outras plataformas de streaming)

A Social Comics é uma plataforma de assinatura digital de quadrinhos, o popular sistema de streaming. O formato é o mesmo consagrado pela Netflix nos últimos anos: você paga uma mensalidade e tem acesso a todo um catálogo de produtos (histórias em quadrinhos) ao qual você poderá consumir incansavelmente.
Social Comics.
Acredito que o sistema de streaming tenha entrado no meu radar da mesma maneira que ficou conhecido por outras pessoas: a compra feita pelo Grupo Omelete.

O Grupo Omelete é uma empresa já comum do mercado de cultura pop nacional pelo portal de notícias homônimo e pela produção de conteúdo que gira em torno desse mercado, inclusa a Comic Con Experience. Isso aconteceu a mais ou menos um ano atrás; o Omelete comprou sua participação na plataforma com um investimento de 2 milhões de reais e ampliou a abrangência dos seus negócios.

Recentemente recebi um e-mail do Catarse me oferecendo 3 meses gratuitos para testar a plataforma. Feliz da vida, fui ver o que a Social Comics tinha de interessante para me oferecer. De cara me deparei com um catálogo generoso da Editora Nemo, que não bastasse ter uma quantidade de títulos bastante vasta, a editora também oferecia uma parte considerável, se não toda, das obras do Moebius (Jean Giraud).

Fui fuçar mais na Social Comics e fui marcando com um “coração” uma série de títulos que me interessavam. A lista aumenta a cada vez em que acesso ao site. Isso é muito bom e ao mesmo tempo muito triste, pois tenho certeza que não terei dinheiro para dar continuidade na assinatura no final dos três meses que ganhei.

Dracomics Shonen Vol.1
Porém, por enquanto que tenho alguns dias para aproveitar a Social Comics, vou usar até ficar com dores nos olhos. A navegação e o sistema para demarcar em uma lista os seus produtos de interesse não são dos melhores, mas a leitura é extremamente agradável depois de se organizar. As funcionalidades do sistema nesse sentido são bem fluídas e práticas.

Como não posso deixar passar, se você tiver ou pretende assinar a Social Comics, não deixe de conferir o catálogo da Editora Draco. A quantidade de quadrinhos não é tão grande quanto a da Nemo, mas é uma puta de uma seleção maneira de algumas das melhores obras oferecidas pela casa draconiana!

E sim, tem Dracomics Shonen Vol.1 na Social Comics!

...

Ultimamente eu tenho aproveitado muito bem os sistemas de streaming. A minha primeira experiência com um aplicativo do gênero foi o Crackle, porém, a plataforma não é lá grandes coisas, não só pelo catálogo, mas principalmente pela baixa qualidade de funcionamento.

A segunda experiência foi com a Netflix, nas vésperas de estrear a série do Demolidor. Até hoje vivemos um amorzinho gostoso apenas com um ou outro empecilho. E como não posso perder a oportunidade de falar novamente da Bianca Comparato, atualmente eu só estou esperando carinhosamente que 3%, a primeira série nacional da Netflix, fique disponível para poder me deleitar mais um pouco.

Além disso, também costumo usar o Crunchyroll, o Dramafever (séries livres) e o Daisuki. No último eu assisti apenas One Punch-Man. As propagandas do Daisuki são mais agradáveis do que as do Crunchyroll, mas o seu catálogo não é tão grande quanto a da outra plataforma. Mas no fundo o que realmente me deixa feliz é o fato de esses sites me possibilitarem consumir produtos japoneses e coreanos dentro da legalidade.

Eu nunca tive condições de consumir uma porrada de coisas por questões financeiras, inclusive só fui ao cinema pela primeira vez aos 18 anos após conseguir meu próprio dinheirinho. Ter a oportunidade, mesmo com propagandas, de poder assistir uns desenhos batutas é algo maravilhoso.

Levando isso em consideração, devo alertar que só há um único problema com os sistemas de streaming: eu.

Eu sou um merda.

Um merda sem dinheiro, daqueles que só recebe pagamento atrasado, um merda que tem vergonha de olhar no espelho para ver o quão é merda.

Em suma, eu sou pobre.

No entanto, se você não é um merda como eu, se você tem bufunfa, todos os sistemas de streaming mencionados, com exceção do Crackle, estão mais do que recomendados para o seu consumo. Se você só puder assinar um, que seja a Netflix; mas se você é fã de quadrinhos e só tem vinte reais mensais para a gastar, garanto que você fará bom proveito da Social Comics.

Nenhum comentário:

Postar um comentário