quarta-feira, 26 de outubro de 2016

Primeiras Vezes - Sibylline (+18)

Primeiras Vezes, capa / Divulgação. 
Primeiras Vezes (Premières fois) é um quadrinho surpreendente por uma série de motivos, mas devo destacar que o fato de ser uma obra erótica foi justamente o que mais me surpreendeu em um todo. Sim, erótica, para maiores de 18 anos de idade, com peitinhos e pintos. Muitos peitinhos e muitos pintos, diga-se de passagem.

Primeiras Vezes é uma antologia escrita pela Sibylline e desenhada por uma série de ilustradores diferentes. O nascimento da proposta da obra é muito interessante, pois em nenhum momento da sua carreira a autora parou para pensar em escrever um quadrinho erótico até o exato momento em que seu editor fez o convite. E, como é perceptivo, ela aceitou a oferta e escreveu o roteiro das histórias.

As histórias do álbum abordam as primeiras vezes de diversas mulheres durante uma relação sexual. Não necessariamente virgindade, mas sim sobre a primeira vez que rolou alguma coisa relacionada a sexo com as protagonistas das histórias, que se alteram a cada novo enredo. Ou seja, a cada “capítulo” temos uma nova trama, uma nova protagonista e uma nova “primeira vez”.

O primeiro ponto positivo da antologia escrita pela Sibylline é a capacidade de construção da empatia com suas diversas protagonistas. Não são muitas páginas, e às vezes não são muitos diálogos, porém, isso não impede que ela consiga trabalhar o carisma de cada uma dessas personagens. Não é preciso ser mulher para ter simpatia com todas elas ou compreender seus sentimentos apresentados nas diversas situações de cada história.
Quadros iniciais de Primeiras Vezes em francês / Divulgação, Amazon France.
As capacitações da roteirista são tantas que o lado erótico se torna um toque a mais para enaltecer o conteúdo das suas narrativas. Não é puro exibicionismo, o que poderia ser completamente diferente se essas histórias fossem escritas por homens. Nesse contexto o sexo acaba valorizando ainda mais o quadrinho, não tinha como Primeiras Vezes ser feito sem essa característica.

Mais do que recomendado, o quadrinho foi publicado no Brasil pela Editora Nemo no valor de R$ 39,90 e pode ser lido através da Social Comics, que foi por onde li a obra (link). Conheci a HQ através de um vídeo do Alexandre Callari, do Pipoca e Nanquim. Na dúvida, uma segunda opinião pode ajudar você a decidir ler essa excelente obra de arte.

Nenhum comentário:

Postar um comentário